Camilla Martins dá dicas de como lidar com uma equipe desmotivada no ambiente de trabalho

Falta de motivação no ambiente ocupacional ou de engajamento acarreta vários danos a empresa em pequeno, médio e longo prazo.  

Entre os danos estão: resultados abaixo do esperado, cumprimento de metas medíocres, diminuição dos lucros, queda da qualidade do produto ou serviço oferecido, insatisfação do cliente, mudança da cultura organizacional, colapso financeiro e falência. 

Algumas empresas são tão malvistas que servem somente para o novato adquirir a tão necessária experiência de mercado, depois disso ele vai embora em busca de algo melhor. 

Se a empresa possui indicadores altos de absenteísmo, turnover, entre outros, alguma coisa está errada. 

E aí voltamos a pergunta inicial. E iniciamos a resposta com outra provocação.  O que está causando a falta de engajamento e motivação da equipe? 

Muitos gestores perdem horas de produtividades em reuniões e treinamentos desnecessários, com seus colaboradores, e nada muda. Isso acontece porque a raiz do problema não está na equipe, está no gestor. Diagnóstico amargo para muitos gestores altamente egocêntricos e narcisistas. 

Não adianta gastar rios de dinheiros com palestras e treinamentos motivacionais para a equipe se o gestor não percebe a necessidade de mudar.  

E como saber se o gestor está no caminho certo? 

Um gestor com perfil de liderança bem definido e adequado precisa: 

– Dar feedback regularmente, não somente nas avaliações institucionais; 

– Reconhecer os feitos diários, pequenos, do dia-a-dia dos colaboradores, não esperando grandes; ações 

– Corrigir sem humilhar; 

-Quando necessário chamar atenção em particular e não em frente de outras pessoas; 

-Manter a disciplina e assumir a bronca quando algo não der certo, não jogando a culpa em seus liderados.  

Para tanto o gestor precisa desenvolver-se antes de pensar em desenvolver sua equipe, pois ele é o capitão. Isso não o diminui, somente prova sua nobreza em reconhecer que ninguém sabe tudo, e que sim é possível, crescer e levar o time rumo a alta performance e a melhores resultados, basta perceber que a mudança deve começar por ele e não por sua equipe. 

Leia mais  Roberto Gomes – O hair stylist Recifense que faz sucesso em São Paulo

Sobre Camilla Martins 

Camilla é treinadora comportamental, palestrante, empresária, master coach e escritora. Iniciou sua carreira na área da saúde onde atuou como docente por 9 anos em universidades de São Paulo. Em 2018 fundou a startup ‘Life Start’ como importante braço da Escola Nacional de Desenvolvimento Humano (ENDH), empresa fundada por ela em 2014, a Life Start oferece soluções em educação por meio de aplicativos e treinamentos online, e facilita o encontro de profissionais e empregador, enquanto que a ENDH atua com foco em treinamentos corporativos e vivenciais. 

Camilla ainda participa de uma importante pesquisa no campo da Neurociências pela UNIFESP juntamente com o Prof º Dr. Luiz Eugênio Araujo de Moraes Mello, um dos mais renomados pesquisadores em Neurociências do Brasil, e desenvolveu uma ferramenta super importante para gestão do estudo, um aplicativo que é fonte principal de sua pesquisa. 

Instagram: https://www.instagram.com/profcamillaoficial/ 

Site: www.endh.com.br