Conheça a fotógrafa Nathália Dorado

A fotógrafa, vem se destacando no mercado com seu trabalho impecável e com um olhar deliciado.

Nathália é de Suzano, São Paulo e seu trabalho é especializado em fotos para famílias, crianças, casais e eventos

Por esse motivo, convidamos a profissional para nos contar sua trajetória.

 

Confira…

Poderia compartilhar um pouco sobre o seu início da jornada, como começou e o mais importante, porque começou a fotografar?

— Eu sempre fui uma pessoa curiosa e sempre gostei de saber um pouquinho de tudo, com a fotografia não foi diferente. Tenho uma amiga que vivia com a câmera na mão e aquilo me conquistou de tal forma que eu quis para mim. Comprei a minha primeira câmera em 2012 e foi sem intenção alguma de ser profissional, só queria ter boas memórias, até que um dia eu percebi que poderia compartilhar meu olhar por aí, eu observava as pessoas de um jeito diferente, aquele jeito que eu queria que elas se vissem também, e, eu não parei mais.

“Fotografia é vida, são conexões que jamais vão se perder.”

Como você poderia caracterizar o seu trabalho?

— Natural, com muitos risos e memórias!

Com características dos clientes, ou seja, único.

 

Diga, o que mais te inspira na fotografia? De onde vem suas melhores ideias para fotografar?

— O que mais me inspira, com certeza, são as pessoas! Nós temos tanto para contar, tantas coisas acontecem no nosso dia-a-dia! Sobre as ideias, elas vêm com 5 minutos de conversa. Eu vou conversando, ouvindo, grifo palavras chaves e as fotos simplesmente saem. Não tem porção mágica, é uma questão de conexão.

Leia mais  Mudança de comportamento

 

Na sua opinião, quais são os maiores desafios para um fotógrafo neste mercado tão concorrido e carregado hoje em dia?

— O mercado é concorrido, pois, muitos profissionais da área colocam barreiras. Uma vez eu li que na área da fotografia não existem colegas de profissão, o meu desafio é esse, quebrar essas barreiras, somos muitos sim, mas tem espaço para todos!

Sabemos que existem muitos clientes que tem um certo receio e acabam ficando um pouco tímidos na hora das fotos. Como você normalmente lida com isso?

 

— Eu sou uma pessoa super tímida também, não tem uma fórmula. Eu converso com os clientes, vou conhecendo sua história. Coloco uma playlist, tento fazer eles se distraírem. Timidez também é algo lindo de registrar!

Existe alguma história emocionante e marcante na sua carreira?

— Todas as histórias, a emocionante, com certeza foi a primeira vez que fui contratada, alguém acreditou em mim. Depois do primeiro evento, a família inteira me contratou, elas são em 4 irmãs! E a marcante, foi o primeiro registro de Natal da minha sobrinha até hoje, ela vai fazer 2 anos.

Se você tivesse uma dica para fotógrafos bem no início de suas carreiras, quais seriam os itens de maior importância no preparo pessoal?

— Trabalhe para você, não para os seus concorrentes. Estude, seja curioso, agarra em pessoas com anos de carreira, não tenha vergonha de pedir para aprender. Ah! Equipamento não é tudo, afinal, a câmera sozinha não faz nada.

 

FONT:

@risosememorias