Lidere com Inteligência Emocional e construa uma equipe autêntica e com performance

Chegamos a um momento que muitos de nós achou que demoraria para acontecer: o impacto das novas tecnologias, um mundo digital e online.

Vivemos uma disrupção tecnológica, mas, para quem pensou que em pleno século XXI, o que mais diferenciaria as relações profissionais seriam as máquinas, se enganou.

Hoje, o grande desafio e maior diferencial é a forma como as pessoas se relacionam e gerenciam suas emoções, sobretudo, para aqueles que ocupam papéis de liderança e gerenciam pessoas.

Você, líder, gestor, empresário, ou profissional de RH, já pensou sobre a importância de desenvolver suas habilidades emocionais e comportamentais para liderar com alta performance, e garantir o desempenho do seu time?

Liderar com Inteligência Emocional (I.E.) se tornou um fator chave para a competitividade empresarial, que vem mostrando que aspectos como empatia, confiança, vulnerabilidade e outras competências se tornaram determinantes.

E, acima de tudo, como conseguir na adversidade pensar criativamente e resolver desafios tão complexos.

As definições de liderança foram atualizadas. Novos tempos exigem novos líderes. Aqueles profissionais que acreditavam que liderar era ter apenas competências cognitivas ficaram para trás.

 

Chegou a hora de você liderar com I.E. e construir uma equipe autêntica, engajada, autônoma  e com performance, capazes de se autogerenciar e gerenciar conflitos.

 

Negligenciar a Inteligência Emocional é como desejar vencer uma corrida sem sair do lugar.

 

Você já pensou que uma liderança ruim pode ser a principal causa de demissão do seu time?

 

Se perguntar a um profissional infeliz qual é o principal motivo da sua insatisfação, a chance dele responder que o problema está na liderança é gigantesca.

 

Uma pesquisa feita consultoria Michael Page mostrou, por exemplo, que 8 em cada 10 profissionais pedem demissão por causa do líder. A liderança despreparada e mediana é o que mais traz problemas para as organizações.

 

O que muitas vezes acontece nas empresas é que elas não conseguem acompanhar a rapidez e agilidade com que o universo corporativo evolui. E, então, faltam competências para liderar e, a principal delas, sem sombra de dúvida é a Inteligência Emocional.

 

Muitos líderes assumem a posição sem estarem preparados, sem se sentirem prontos para gerir uma equipe com tantas adversidades.

 

Nem mesmo as melhores empresas, com índices relevantes sobre liderança estão livres de terem líderes e gestores que fazem mal não só à organização, mas também aos profissionais.

 

Nesta mesma pesquisa realizada pela consultoria Michael Page, constatou-se que:

 

  • para 10% dos funcionários, o líder é coercitivo e autoritário
  • para 13% os líderes são pessoas direcionadoras e que exercem alta pressão para o atingimento de metas
  • e 9% já pediram demissão voluntariamente por causa do líder
Leia mais  Descubra como ser dono das suas emoções e impeça que sentimentos como a Ansiedade prejudique seu crescimento pessoal e profissional

 

Você já se perguntou por que tem a equipe que tem? 

 

Durante minha Certificação Internacional em Coaching com foco em Inteligência Emocional ministrada pelo próprio Daniel Goleman, umas das maiores referências no assunto do mundo, fui impactado por uma de suas falas:

 Para os líderes, a Inteligência Emocional representa 85% do seu sucesso profissional, enquanto apenas 15% se referem a conhecimentos técnicos.

Ou seja, entender como você age e reage em relação a determinadas situações e como os seus comportamentos impactam tudo a seu redor, aprendendo a gerenciar as emoções, é extremamente importante para o seu sucesso. Não se pode mais negligenciar a Inteligência Emocional.

As competências da I.E. vão além da sociabilidade, da sensibilidade e da qualidade de ser agradável com as pessoas.

Uma organização só ganha vida e evolui através da forma como as relações de trabalho são construídas. E os líderes são o ponto determinante entre ter uma equipe engajada e feliz e outra que considere a empresa ruim.

Foi-se o tempo em que não era relevante desenvolver sua Inteligência Emocional. Hoje, todos nós precisamos reavaliar a importância que estamos dando à essa competência que, segundo o Fórum Econômico Mundial, é primordial para qualquer profissional, principalmente, para quem lidera e gerencia pessoas.

Se você ainda não se questionou sobre que tipo de líder é, essa reflexão vai te ajudar a expandir a consciência para começar a ter clareza sobre o seu papel:

 

  • Você empodera seus liderados a tomarem decisões ou centraliza todos os processos e tarefas em si mesmo?
  • Estabelece relações de confiança ou cultiva a falta de transparência?
  • Tem em mente seu propósito como líder ou lidera sem saber o porquê?
  • Tem empatia e tenta entender as emoções alheias ou não se conecta com as pessoas?
  • Coloca atenção ao nível de engajamento do seu time ou eles trabalham sem motivação alguma?
  • Sua liderança tem mais foco em tarefas ou em desenvolver pessoas?

E aí líder, está preparado para construir um time autêntico e com performance, usando a I.E. para alavancar sua carreira e se posicionar frente ao mundo do trabalho? Ou ainda está preso em práticas do passado?

Quer saber mais? Acesse: www.mastersoul.com.br ou https://www.instagram.com/paulo_alvarenga/ e aprenda na prática como liderar com Inteligência Emocional.