4 Maneiras de começar a investir no agronegócio

Como investir no agronegócio

A terra produtiva pode ser um dos ativos de investimento mais antigos do mundo. Quando os primeiros grupos humanos deixaram de ser nômades para viver em assentamentos, começou-se a investir no agronegócio. Desde então, economias inteiras se movem para investir em terras produtivas e seus recursos.

Por que investir em agronegócio?

 O Brasil é conhecido no mundo pelo seu agronegócio forte. Enquanto muitos setores da economia pararam de crescer ou mesmo mostraram queda, o agro tem crescimento. Esse é um dos grandes motivos que levam ao aumento do interesse por investir no agronegócio. 

Com a entrada de novos investidores na bolsa de valores, muitos buscam maneiras novas de diversificar os investimentos. No Brasil, investir em agronegócio pode ser uma excelente opção, já que o país é um dos principais exportadores mundiais de grãos e proteína animal.

Por isso é bom conhecer os diferentes modos possíveis para investir no agronegócio. Seja usando a renda fixa ou renda variável. Assim, é possível diversificar a carteira, mitigar riscos e ganhar com o lucro do setor. A seguir, serão tratadas algumas das maneiras de começar a investir nesse setor.

Como investir em agronegócio?

Antes de explorar as opções para investir, tem que saber como acessar esses produtos. Tanto os produtos de renda fixa quanto os de renda variável listados se encontram no portfólio das principais corretoras do país. Nesse ínterim é preciso ter uma conta em uma corretora de valores para ter acesso a eles. Felizmente muitas não cobram taxas para isso.

Pesquise com atenção e escolha a melhor corretora para o seu perfil. Confira as taxas que são cobradas, assim como os produtos listados nelas. Uma vez feita a conta – após algumas poucas horas – você terá acesso aos produtos e pode começar a investir.

Investir em agronegócio por meio da renda fixa

Os ativos de renda fixa são aqueles em que é possível comprar um produto sabendo quanto se ganha e quando o dinheiro estará disponível. São ativos com menor risco, menor rentabilidade e melhores para investimentos de longo prazo. 

Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

Esse primeiro ativo funciona como um empréstimo que você fará ao empreendedor rural, tendo o banco como intermediário. Dessa forma você paga o valor do título e recebe de volta com juros dentro de um período combinado. O valor dos juros e o período para resgate depende de cada título, e as opções variam entre as plataformas das corretoras.

Confira sempre se os ativos têm garantia dada pelo Fundo Garantidor de Crédito, o FGC. Pois essa garantia dá uma segurança a mais. Em caso de falência do emissor do título (o banco), o FGC faz o ressarcimento dos investimentos até R$250 mil reais. As LCAs são seguradas pelo FGC, o que ajuda a diminuir os riscos para o investidor. Além disso, os LCAs não têm imposto de renda.

Leia mais  Especialista dá 6 dicas para maximizar os resultados de sua empresa

Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA)

Os CRAs são ativos que funcionam de modo semelhante aos LCAs. A principal diferença é que aqui os custos de uma aplicação inicial serão maiores. Além disso, é preciso mais dinheiro para aplicar em CRAs, eles não contam com proteção do FGC. Em compensação, apesar do risco mais alto, os CRAs costumam render mais e não tem cobrança de imposto de renda. 

Usar a renda variável para investir em agronegócio

Diferente da renda fixa, quando se investe em renda variável não se tem certeza do retorno que será recebido. Além disso, na renda variável não há garantias e os riscos são maiores. Mesmo assim, investir nessa modalidade pode trazer retornos muito maiores que os da renda fixa. A cobrança de imposto de renda depende do tipo de produto comprado.

Fundos de Investimentos em Ações

Os fundos de investimentos em ações são uma ótima opção para quem está iniciando nesse mercado. Visto que são uma forma de diversificar a carteira e investir em vários ativos de uma só vez. Em um fundo de ação, quem administra seu dinheiro é um gestor profissional. Ele se dedica a analisar o mercado e escolher as melhores ações.

Alguns fundos investem em setores específicos, e esse deve ser seu foco aqui. Se quer investir no setor agro, procure fundos que investem apenas em ações de empresas desse setor. A saber, esse tipo de ativo é retido na fonte. Além disso, os valores mínimos para investir variam de um fundo para outro e entre corretoras.

Para ter sucesso nesse tipo de ativo, pesquise bastante antes de escolher um fundo. As principais informações ficam disponíveis na lâmina de essenciais do fundo. Além disso, pesquise o quanto esse fundo rendeu nos últimos anos, especialmente em momentos de crise.

Ações de empresas do setor agropecuário

Se você tem mais tempo e disposição para aprender, existe outra opção. Pode-se investir diretamente em ações das empresas do setor agro. Assim se elimina o gestor intermediário e as taxas do fundo. Você poderá escolher as ações das empresas que desejar, e comprar elas diretamente na plataforma da corretora.

Comprando as ações você ganha dinheiro com a valorização delas, ao vender por um preço maior. Além disso, pode receber dividendos, que são os lucros da empresa distribuídos entre os acionistas. 

O investimento mínimo varia, mas é possível comprar lotes de 100 ações ou mesmo de apenas uma. Essa estratégia, no entanto, requer mais tempo para estudar os fundamentos das empresas e os preços das ações. Por isso, não é para todos, envolvendo mais riscos.