Qual o seu principal desafio profissional no trabalho remoto?

Descubra como vencer a procrastinação e a desmotivação para ter resultados

Já se contabilizaram 9 meses em que muitos profissionais permanecem trabalhando de forma remota. Enquanto algumas empresas começam a adotar o modelo de trabalho híbrido, outras estão voltando definitivamente para os escritórios.

Muitas são as discussões em torno desse assunto que envolve organizações, líderes e colaboradores.

Por outro lado, existem muitas divergências: embora algumas pessoas se sintam mais motivadas e engajadas trabalhando remotamente, outras acreditam que os desafios são maiores e que estar no escritório é mais eficaz.

O que sabemos até agora é que entre benefícios e limites, muitas empresas economizaram custos, aumentaram a produtividade, aumentaram metas de diversidade no recrutamento, já que, de forma remota o colaborador pode residir em qualquer lugar e, principalmente, conseguiram manter os negócios viáveis.

Mas, a que custo? Quais foram os maiores desafios vivenciados nesse período? E, de que forma, os impactos afetaram os colaboradores?

Pesquisas divulgadas recentemente mostraram que buscas pela expressão “EXAUSTÃO MENTAL” cresceram 150% na quarentena, segundo o Google.

Um outro levantamento feito pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro em parceria com a Universidade de Yale, nos EUA, mostraram que sentimentos como estresse, ansiedade e medo aumentaram durante a crise.

Ou seja, o medo de perder o trabalho, somado à pressão para cumprir metas, melhorar os resultados, atingir objetivos e a ansiedade pelas incertezas do futuro geraram um turbilhão de emoções.

Esses dados só reafirmam algo muito palpável, que o nível de estresse aumentou muito durante o home office “forçado”, já que:

68% dos profissionais extrapolaram o expediente em pelo menos 1 hora por dia

39% se sentiram mais solitários

30% ficaram mais estressados pela falta de descontração no trabalho

24% se sentiram pressionados a responder e-mails e mensagens mais rapidamente

62% ficaram mais ansiosos com o trabalho em comparação ao período antes do home office

Situações que abriram espaço para outros tipos de desafios, como a: procrastinação, desmotivação, disciplina e resultados.

E você, como tem lidado com esses fatores há tantos meses em home office?

  • PROCRASTINAÇÃO 

Diante de outros desafios impostos pelo home office “forçado”, como espaços reduzidos e compartilhados com a família, falta de familiaridade com o novo modelo de trabalho, a vontade de “deixar para depois” acabou sendo potencializada e as tarefas se acumularam. 

Pode parecer contraditório, mas quem procrastina acaba encontrando prazer naquilo que “não realiza”, pois, ao invés de procurar uma saída, que exige esforço, é mais fácil procurar circunstâncias para não fazer.

Em momentos como esses, em que a procrastinação pode ser mais que um desafio, a solução está em buscar o seu propósito e não desistir dos seus objetivos.

Tanto a crise como as situações provocadas por ela, são fatores externos que não podemos mudar. Foque em seu propósito!

  • DESMOTIVAÇÃO
Leia mais  Líder: 3 erros para banir da sua gestão em 2021 Por Paulo Alvarenga

Para alguns profissionais, a desmotivação vem antes da procrastinação. Muitas pessoas estão vendo o propósito e o sentido do que as faziam levantar da cama e ir para o escritório desaparecer.

Elas então se perguntam como encontrar motivação para continuar exercendo com entusiasmo o trabalho que antes era tão motivador.

As mudanças serão cada vez maiores e inevitáveis, por isso, não podemos simplesmente cruzar os braços e esperar que o ano acabe ou que tudo isso passe para voltarmos a ter motivação.

É preciso mudar a mentalidade e encarar os desafios. Nesse momento, ter um propósito bem definido pode ser a chave para resgatar a sua motivação.

Ele vai ajudá-lo a fazer coisas que você considera realmente significativas hoje e, ao mesmo tempo, impulsioná-lo para seu futuro ideal. 

  • DISCIPLINA

É fato: para ter disciplina precisamos ter rotina e hábitos. E diante de tal realidade, algumas pessoas foram “traídas” por seus próprios hábitos.

O home office “forçado” proporcionou a milhares de profissionais uma “liberdade” de horários que não existia, já que o home office não fazia parte da realidade do trabalhador brasileiro.

Nesse sentido, manter o foco e a disciplina se tornou algo muito difícil para essas pessoas que não tiveram tempo para se adaptar ao novo cenário.

Como dizem alguns especialistas, foram 10 anos em alguns meses. Sendo assim, se manter produtivo como antes é tão desafiador como manter a disciplina.

  • RESULTADOS 

Se o seu maior desafio é manter os resultados, muito provável que você não esteja conseguindo sustentar a mesma rotina de produtividade do escritório e, nesse momento, isso pode ser normal.

Mas, sempre é bom ter um ponto de atenção e tentar perceber se a queda de produtividade e, consequentemente dos resultados, é apenas decorrente de uma adaptação na qual todos estamos enfrentando ou não.

Há depoimentos de profissionais que estão trabalhando muito mais do que antes, em média, trabalham 4 horas a mais por dia.

Mas, isso não significa que eles estejam tendo mais resultados, trabalhar mais pode significar falta de foco e produtividade.

A pergunta é, como continuar mantendo os resultados nesse período, sem permanecer tempo excessivo debruçado nas atividades profissionais?

Desenvolvendo as competências do futuro, tão importantes na atualidade, e o futuro do trabalho.

Quer saber mais sobre como desenvolver essas competências para não sofrer tanto com as mudanças e se tornar um profissional ou líder preparado para o futuro?

Continue acompanhando aqui a coluna semanal ou acesse: www.mastersoul.com.br e @paulo_alvarenga, pois em breve terei novidades!

Um abraço, 

Paulo Alvarenga (P.A.)

CEO & Founder da Mastersoul