QUANTO VALE?

Saber quanto cobrar por um produto não é ciência exata. E desta decisão depende um dos motores do crescimento de uma empresa. Nós, da Vikaas, encaramos a precificação como uma arte!

QUANTO VALE? Essa é uma das primeiras perguntas que devemos fazer ao construir uma estratégia de precificação de um produto.

E nesse processo, muitos gestores nos perguntam qual o mark-up ideal para seus produtos. O mark-up é aquele fator que multiplicado ao custo direto do produto, resulta no preço final. Mas essa resposta nunca temos na ponta da língua. Porque ela não existe. Na verdade, o uso do mark-up é um atalho usado muitas vezes por quem não fez a lição de casa completa. Ou para quem já fez todos os cálculos e o usa como uma forma de simplificar o dia-a-dia da sua operação, e tudo bem!

Mas quando construímos uma estratégia de precificação em nossos projetos, preferimos pegar um caminho diferente. Depois de apurados os custos diretos de mercadoria, somados os indiretos e todas as outras despesas da empresa, agregamos a margem de lucratividade desejada de cada produto.

Feito isso, temos uma estrutura financeira para cálculo de preços e projeção da margem de lucro que cada produto deve contribuir na operação.

O próximo passo é fazer uma boa pesquisa de campo para apurar preços praticados pelos concorrentes daquele segmento, assim como os diferenciais de cada um deles. Entender quais os pontos fortes e fracos de cada player, de cada produto ou serviço é de grande importância para se entender quais “armas” cada exército vai usar nesta batalha.

Mas antes de todo esse processo, antes mesmo da criação e desenvolvimento desse produto ou serviço, existe a pedra fundamental deste trabalho: pesquisar, entender e avaliar QUANTO VALE esse produto para o cliente. Sem essa clareza, é uma atitude quase irresponsável investir num processo de produção, começar uma operação e lançar um produto no mercado.

E é por focar somente nos custos e na concorrência, que muitas empresas erram tanto ao precificar um produto. Erram para baixo, cobrando menos do que o cliente estaria disposto a pagar e erram para cima, cobrando caro demais, perdendo oportunidades de venda e comprometendo a imagem da marca.

Quanto vale a vacina para o Covid-19 hoje, em meio à pandemia? Quanto valerá essa mesma vacina, em 2025? Essa medida tem a ver com os custos financeiros? De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz, o Brasil está comprando vacinas de Oxford por U$5,25 cada dose. Quanto você pagaria hoje por essa mesma vacina?

Leia mais  Tratamento estético promete desde clarear manchas na pele até amenizar linhas de expressão

Os custos financeiros deverão ser bastante similares em 2021 e 2025. Mas QUANTO VALE para cada um de nós, esse produto em cada momento tão diferente? O valor desta vacina terá significados muito distintos ao longo dos próximos anos, não é mesmo?

Em 2019, um supermercado que entregava por delivery tinha determinado valor. Em 2020 essa entrega passou a ter outro significado! Quanto vale a blindagem de um carro se você mora no Brasil? Quanto valeria essa mesma blindagem se você morasse na Alemanha?

Grandes empresas investem em pesquisas etnográficas para entender o real significado que cada produto pode ter para cada grupo de pessoas. Essa busca passa por compreender o ambiente em que está inserido esse indivíduo, seu contexto sócio cultural, como ele se comporta ao usar esse produto, como ele pensa ao tomar a atitude de compra e qual valor esse produto tem para ele e sua família. Elas se beneficiam muito desse tipo de pesquisa e usam as informações no desenvolvimento de novos e mais valiosos produtos, assim como na sua definição de marca e imagem.

O que é status para uns, pode não ser para outros. O valor da segurança para uns, é diferente para outros. O que é prático e fácil para um jovem, pode não ser para um idoso e vice-versa.

O tempo de entrega é valor, o formato da venda é valor, o ponto de venda é valor, a jornada do cliente, o atendimento, a ambientação, embalagem e apresentação do produto também formam valor. Tudo depende daquilo que cada cliente precisa, deseja e valoriza, em que local e momento da sua vida.

A precificação precisa levar em consideração todos esses elementos. Precificar monetizando o valor que um produto tem para um indivíduo é precificar com estratégia. Enquanto ignorar qualquer um desses passos pode levar uma empresa a erros graves e comprometer sua marca, seus resultados e todo seu potencial de crescimento.

As ferramentas que ajudam empresas definirem essa estratégia e estruturarem corretamente seus preços podem e devem ser práticas e de fácil gestão. Por não conhecerem ou não acreditarem em ferramentas práticas, as empresas acabam perdendo muitas oportunidades.

Seja em consultorias financeiras ou comerciais, a discussão acerca da formação de preços sempre torna-se essencial. E esse é um dos valores que nós, da Vikaas, temos muito orgulho em entregar aos nossos clientes.

Por Melissa Sacic, especialista em precificação e estratégias comerciais.

Sócia e co-fundadora da Vikaas.

www.vikaas.com.br