Renato Pinilha, diretor diretor executivo de varejo, diz precisamos estar abertos para um novo tempo

Milhares de textos e artigos estão nesse momento, sendo postados em todos os meios de
comunicação, todos com um único objetivo: solução para o problema chamado popularmente
de “Corona Vírus”.
Diante de um momento tão desafiador, aqui no Brasil, a política sobressai e ao invés de os
pseudos líderes da nação se unirem de verdade em prol do seu “POVO”, apenas usam do
momento para impor a hipocrisia sórdida que conduz o comportamento pela disputa do
poder… Triste a realidade que conduz o futuro da nossa nação. Se é um consolo, que bom ter
exceções.
Políticas à parte, voltando para realidade de nós cidadãos, seres mortais e dependentes, fica a
seguinte pergunta: quem tem a real solução para este problema do “CV”?
Penso sinceramente, que não há e nem haverá uma solução definitiva, um dono da razão, o
certo ou errado, culpados, inimigos ou vilões… Apenas sinto, que O MUNDO NÃO SERÁ MAIS O
MESMO DEPOIS DESTE EVENTO VIRAL.
No mundo Corporativo, por exemplo, muitas palavras e frases de efeito irão cair… Não haverá
mais a necessidade da mudança, da resiliência etc etc. Teremos que buscar a
TRANSFORMAÇÃO. Sim, enxergar que novos “comportamentos” surgirão, formas de
“interagir” gerações e classes sociais será um pilar de sustentação em várias frentes políticas,
econômicas e de comunicação e sem dúvida, a “emoção”, essa terá novo valor com a família,
com os amigos, com o vizinho, com os colegas de trabalho… A visão de “cada um no seu
mundo” cai por terra e a fé, sentimento único nos povos, entra como protagonista de
sustentação da verdade, tom uníssono, quebrando barreiras religiosas, porque as emoções se
erguerão em busca das necessidades para se viver num mundo melhor. Pois, muitas mascaras
irão cair.
Entender que não podemos mais ser dependentes será uma virtude no ciclo humanitário, que
a verticalização e a centralização em busca de ganhos financeiros, tudo por US$ 1,00 a mais,
não pode estar apenas em um único lugar. Esse paradigma ficará no passado e uma nova visão
de desenvolvimento que precisamos, ganhará seu espaço… Porque trazer de tão longe, aquilo
que podemos desenvolver, fazer e cultivar tão perto? Não só será mais inteligente, como
sustentará o futuro de um dia a dia melhor para todos. Nós somos capazes de transformar esta
nação.
Por isso, precisamos ser TRANFORMADORES, romper o casulo, abrir-se para um novo tempo.
Desenvolver uma nova proposta, renascer, renovar, reformular, ter a coragem de olhar para
frente e criar o novo, sair dos rótulos que dominam nossa forma de pensar e agir. Sermos
protagonistas, não coadjuvantes… Atitude e coragem para colocar a “cara a tapa”, se
reinventar, TRANSCEDER nossa visão de VIDA, com um novo jeito de viver a vida.
Daqui em diante, tudo irá mudar o tempo todo, com uma velocidade cada vez mais rápida e
com grandes impactos na humanidade e na natureza, o “Corona Vírus é apenas mais uma de
outras enfermidades que virão, recentes e novos paradigmas criados, serão novamente
colocados em cheque, fortalecendo nossos valores e colocando à prova nossas crenças.
Teremos que saber lidar com o inesperado, não sabemos mais, o que poderá acontecer. Agora,
o futuro é incerto e imprevisível, seremos forçados a entender que deveremos, de verdade,
viver o hoje. Será difícil fazermos qualquer previsão, verdades serão mentiras e o errado

Leia mais  Anne Marinho: é possível manter o casamento dentro e fora da empresa

poderá estar certo, e tomada de decisão, seja com emoção ou com a razão, será um ato de
sobrevivência.
O “Corona Vírus” mostra que as gerações só sobreviverão se estiverem interligados e
conectados de verdade… Afinal, hoje, os netos só podem salvar os avós, se ficarem longe
deles… Que realidade paradigmática absurda para sobreviver. Sim, o mundo, em breve, irá
falar apenas uma língua, pois entenderemos que o mundo, definitivamente, não é linear e
viver não tem manual de procedimentos.
Enfim, Não existe mais o absoluto, tudo poderá ser diferente e oposto, com interpretações,
possibilidades e respostas inusitadas. Mas uma coisa é certa, feliz é aquele que hoje, poderá
dizer, uma frase musical de Nando Reis: “É bom olhar pra trás e admirar a vida que soubemos
fazer; É bom olhar pra frente…” Termino com minha frase: “Vivendo intensamente o hoje,
mesmo não sabendo o que virá no dia de amanhã, porque este dia, o de amanhã, ainda não
existe”.

 

https://instagram.com/renatopinilha?igshid=iddd80ax8202