Como lidar com os medos no mundo corporativo por Paulo Alvarenga (P.A.)

Nos últimos meses, milhares de pessoas mudaram suas vidas, muitas mudaram de trabalho e se adaptaram a novas atividades profissionais, outra grande parcela, infelizmente, perderam suas ocupações e tentam se reinventar num mercado tão enxuto.

 

O medo em relação ao trabalho quase triplicou e, hoje, é comum encontrar profissionais apreensivos com medo de não conseguir cumprir metas, ou ter que disputar espaço com um profissional mais jovem, ou  de perder o emprego porque o cargo será extinto.

 

E, todas essas situações trouxeram grandes reflexões sobre o que chamamos de “novo normal” nos ambientes corporativos e nas relações profissionais.

 

Mas será que estamos de fato preocupados com o que verdadeiramente impacta as pessoas nesse novo normal?

 

Refiro-me principalmente à saúde emocional dos profissionais, sobretudo, em que tipo de ambiente eles trabalham e passam boa parte dos seus dias.

 

A grande questão é: como ter mais inteligência emocional para lidar com os medos e necessidades emocionais no trabalho, principalmente, com o medo da demissão?

 

E como construir e gerar um ambiente saudável e psicologicamente seguro para os colaboradores, ajudando-os a superar o medo?

 

Segundo um estudo conduzido pelo Grupo Abril, a preocupação, insegurança e o medo são as três palavras que mais traduzem os sentimentos das pessoas nesses últimos meses. E o medo é de longe o sentimento mais citado!

 

Segundo a CNI, 71% dos brasileiros têm medo de perder o emprego. E é por isso que eu pergunto a você:

 

  • Realmente estamos trabalhando em ambientes ou condições que garantem saúde psicológica para diminuir esse sentimento?

 

  • Aqueles que estão em trabalho remoto estão recebendo “garantias” psicológicas” para exercerem seus trabalhos?

 

  • Ou estamos disseminando medo e insegurança, e promovendo pressão sobre aqueles que ainda tentam se manter vivos no mercado?

 

Garantir um ambiente seguro dentro das organizações é mais do que um dever nestes tempos tão desafiadores, e o medo de perder o emprego não pode ser usado contra quem luta diariamente pela sobrevivência.

 

Como então superar esse medo que ronda a cabeça de tantos profissionais no mundo corporativo e viver em um ambiente mais seguro?

 

Há vários anos atuando como especialista em ambientes psicologicamente saudáveis e ajudando a construir uma cultura de segurança psicológica em organizações e empresas, pude perceber que a maioria das pessoas não tem ideia do que fazer para lidar com o medo quando ele surge e, também, como evitar que ele se transforme em um limitador e prejudique não só o desempenho, como também a saúde.

 

E diante dessa realidade resolvi compartilhar com você 3 Estratégias para lidar com o medo e ajudá-lo a ressignificar esse momento:

Leia mais  Qual deve ser a Mentalidade das Lideranças na atualidade? por Paulo Alvarenga (P.A.)

 

Foque no ganho e não na perda

 

Faça uma lista de todos os benefícios que você irá ganhar superando o medo.

 

Saia do estado mental da perda, como o medo de perder o emprego, por exemplo. Pois por mais difícil que isso agora pareça, é apenas remodelando sua mente que tudo pode melhorar.

 

Foque em todos os benefícios que seu trabalho lhe traz, não perca saúde pensando negativamente.

 

Se liberte do processo da dor

 

Torne seu processo de mudança divertido, ele não precisa ser doloroso. Se você, por acaso, tiver que mudar de área, ou de profissão, mesmo que momentaneamente, tente superar a mentalidade de que toda mudança é ruim.

 

Todos nós estamos vivendo uma nova realidade, cada um com suas particularidades, mas não deixe que o medo da dor te impeça de realizar as mudanças que você precisa.

 

Ficar comparando sua realidade com a de outras pessoas será muito prejudicial.

 

Se desapegue dos resultados negativos

 

Ficar apegado às experiências ruins só potencializa a presença do medo em sua vida. Hoje, é bem provável que você conheça várias pessoas que perderam seus trabalhos, ou que, forçosamente mudaram de área, mas é preciso se desapegar dessas experiências.

 

Tenha consciência e clareza de que em sua vida também existirão perdas, mas não gaste energia focando no que pode dar errado, isso só reforça o medo e te paralisa.

 

Permanecer focado em situações negativas apenas aumenta o risco desse medo virar uma ideia obsessiva e atrapalhar seu rendimento ou gerar alguma doença.

 

Tenho certeza que você há de concordar comigo que o nosso trabalho tem forte impacto emocional em nossas vidas, por isso, não contribua para que ele se torne um potencializador de emoções negativas.

 

Deixo por último uma dica ainda mais valiosa: não tenha medo de sentir medo, mas saiba que, assim como o medo tem a capacidade de paralisar, ele também pode ser um motivador para que você realize coisas extraordinárias em sua vida.

 

Se quiser saber mais como aprender a diferenciar um medo real de uma mentalidade de medo e descobrir a origem dos seus medos para usá-lo a seu favor, clique aqui e conheça o curso Matriz das Emoções.

 

Um abraço,

 

Paulo Alvarenga (P.A.)

CEO & Founder da Mastersoul