Tabela Fipe vai aumentar em 2024? Entenda a flutuação de preços

Negociar a compra ou venda de um automóvel muitas vezes se transforma em uma tarefa desafiadora. Como ter certeza de que o preço praticado é justo? 

Para esclarecer essas dúvidas, a Tabela Fipe 2024 surge como uma ferramenta valiosa, oferecendo uma visão abrangente dos preços médios de veículos no mercado brasileiro, tanto novos quanto usados.

A Tabela Fipe, criada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), é uma referência consolidada no Brasil. Essa instituição sem fins lucrativos, vinculada à Universidade de São Paulo (USP), desempenha um papel crucial na disponibilização de informações confiáveis sobre os valores de veículos no cenário automotivo nacional.

 

O Que é a Tabela Fipe?

A Tabela Fipe, proveniente da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), destaca-se como um recurso amplamente utilizado para consultar preços médios de veículos, seja na categoria de novos ou usados. Seu propósito vai além do comércio automotivo, contribuindo para projetos e pesquisas em âmbitos público e privado, enquanto apoia o Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP).

A elaboração dessa tabela leva em consideração fatores como a quantidade vendida de determinado modelo, condições do veículo, quilometragem e ano, proporcionando uma visão abrangente do cenário automotivo brasileiro.

 

Como Utilizar a Tabela Fipe?

A praticidade da Tabela Fipe se reflete na facilidade de acesso online. Ao visitar o site da Tabela Fipe, é possível realizar consultas para carros, caminhões ou motos. Para carros, por exemplo, basta selecionar o período de referência, marca, modelo e ano do veículo desejado.

Entretanto, é crucial compreender que a tabela representa um índice de mercado sujeito a problemas nos critérios adotados e zonas de atuação. Valores fora dos padrões mercadológicos, a falta de disponibilidade em determinadas regiões do Brasil e o custo elevado para estipular preços mais detalhados podem impactar a precisão das informações.

 

A Tabela Fipe e a Depreciação de Valor

Além de fornecer valores de referência, a Tabela Fipe oferece insights valiosos sobre a depreciação que os veículos enfrentam ao longo do tempo. A depreciação é a queda nos preços causada pelo envelhecimento do veículo, considerando fatores econômicos e desgastes resultantes do uso.

Veículos com mais de 10 anos, por exemplo, têm seu preço médio de negociação estabelecido levando em conta a depreciação proporcional a esse período. Vale ressaltar que não são apenas os carros usados que sofrem depreciação; um veículo zero já deixa a concessionária com seu valor depreciado, sendo classificado como seminovo.

 

Como a Depreciação do Veículo é Calculada?

Calcular a depreciação de um veículo zero em 5 anos envolve dividir o valor do automóvel por 5 e, em seguida, dividir o resultado por 12, representando os meses do ano. Por exemplo, se um veículo foi adquirido por R$ 50.000, sua depreciação anual seria R$ 10.000 e a mensal, R$ 830.

Esses valores são referenciais, pois fatores como condições do veículo, documentação, quilometragem e acessórios podem influenciar na desvalorização. A instalação de acessórios, por exemplo, não garante uma venda futura por um valor acima da tabela.

Leia mais  Comemorações de final de ano são no Quintal do Espeto

 

Carros que Menos Sofrem Depreciação

Os carros importados geralmente enfrentam uma depreciação mais rápida e elevada, enquanto os nacionais tendem a manter seu valor por mais tempo. Isso ocorre devido aos custos mais elevados associados à manutenção de veículos importados.

Veículos populares com baixa quilometragem são os que menos sofrem depreciação. Em média, perdem de 20 a 30% do valor de compra em 2 anos, em comparação com os importados, que podem perder cerca de 50%.

Para seminovos, a desvalorização pode ser menor se a quilometragem for baixa e o veículo estiver bem conservado. Após 2 anos, esses veículos começam a ser considerados usados, enfrentando a depreciação padrão.

SUVs e caminhonetes, por outro lado, tendem a sofrer depreciação mais rápida, dada a natureza específica dessas categorias e seu público mais restrito.

Contrariando a expectativa, o tempo nem sempre é o inimigo da valorização dos carros. Carros de colecionadores em excelentes condições podem valer mais do que o preço pago quando eram zero, destacando exceções à regra.

 

Dicas para Valorizar Seu Carro na Tabela Fipe

A Tabela Fipe serve como referência, mas alguns cuidados e estratégias podem influenciar positivamente o valor de mercado do seu veículo. Atentando-se a pequenos detalhes, é possível evitar uma desvalorização expressiva e garantir um retorno mais vantajoso na hora da venda.

Primeiramente, destaca-se a importância da cor do veículo. Carros na cor branca, por exemplo, costumam ter um valor inferior, muitas vezes associado ao uso como táxi. A prevalência dessa cor nesse tipo de serviço faz com que as concessionárias automaticamente reduzam o valor. Isso resulta em uma discrepância nos valores de mercado para veículos do mesmo modelo e ano, diferenciados apenas pela cor.

Outro ponto crucial é o estado de conservação do carro. A manutenção regular e a preservação do veículo são aspectos determinantes para evitar prejuízos na revenda. Um carro bem cuidado, tanto esteticamente quanto mecanicamente, tende a despertar mais interesse no mercado e, consequentemente, conserva um valor mais elevado.

A região em que o automóvel foi predominantemente utilizado também exerce impacto na desvalorização. Carros vendidos em capitais, como São Paulo, costumam ser mais valorizados em comparação aos comercializados em cidades do interior. A demanda nas áreas urbanas contribui para essa discrepância nos preços.

Por fim, o ano de fabricação é um fator determinante. Geralmente, carros mais novos possuem valores mais altos, mas como destacado anteriormente, essa regra nem sempre é absoluta. O cuidado com outros aspectos, como a cor e a região de uso, pode contrabalançar a influência do ano de fabricação na desvalorização. 

Estar atento a esses detalhes pode ser a chave para maximizar o valor do seu veículo na Tabela Fipe e obter um retorno mais favorável no mercado automotivo. Para tanto, recomendamos o site Garagem 360, com notícias diárias sobre o mercado automotivo.